Central Anitta » Revista
Arquivo da categoria 'Revista'
08
jul
16

Anitta é capa e recheio da edição #15, da revista WOW, que foi lançada recentemente e já está a venda no site da mesma; em breve, estará também disponível em diversas livrarias do Brasil.

Abaixo, vocês conferem a entrevista completa, além de fotos exclusivas da cantora.

O TIRO CERTO por DJ Zé Pedro
Anitta era a mina da hora dentro do universo funk. Mas isso foi antes, bem antes que suas ambições fossem postas em prática, e que a transformariam em mito absoluto no Brasil. Feito Midas do pop brasileiro, onde Anitta coloca suas ideias em prática vira território do sucesso. Os artistas e produtores que ela chama para arregimentar seus sonhos, viram estrelas dentro do mercado. Sabendo disso, Anitta planeja com muito cuidado seu exército. E foi assim que ela chegou ao reino de Giovanni Bianco, o cara que reinventa a imagem de Madonna a cada álbum, cria campanhas geniais para marcas de moda do mundo todo e, acima de tudo, um apaixonado pelas coisas do Brasil.
Sendo assim, o encontro desses dois poderes só poderia chegar onde chegou: na consagração total, no assunto principal de todas as mídias. O videoclipe de ‘Bang‘ (ainda) – a cada amanhã, aumenta consideravelmente seu número de views no YouTube. Transformou-se em paródias que deram o que falar, como a minha própria no ‘Canal da Véia‘, que também arrastou multidões sendo editada pelo próprio Giovanni ao lado de seu parceiro Bruno Ilogti.
Nosso primeiro encontro foi após esse sucesso todo. Demos muita risada, passando dali pra uma relação alimentada por mensagens de voz, porque encontra Anitta hoje é praticamente impossível. Sua agenda é sem intervalo e, aviso aos navegantes, só vai piorar para melhor, porque, em breve, a moça alcança o mercado estrangeiro. Para isso, tem preparado demos com os maiores produtores lá de fora. Eu já ouvi algumas e digo: é tiro, porrada e bomba. Anitta, sou teu fã.

Anitta WEloveYOU
Muito se fala sobre ela, tanto em comentários da mídia como nas ruas. Um fenômeno passa por esse processo naturalmente e não tem para onde fugir e nem como se esconder. A crítica existe. E, como ela mesmo nos diz, “é importante“. A garota pop não liga muito para as críticas que não acrescentem em nada na sua crescente carreira. Se der espaço às críticas sem fundamento, seu trabalho perde a identidade. Você se torna mais um.
Ela escreve, ela dança, ela vende, ela resolve sua rotina empresarial, ela faz comercial, ela é garota propaganda de várias marcas. Ela se estica, malha, come e faz dieta. Ela, ela, ela. Sim, ela é um fenômeno. Faz selfie e depois tira sarro de tudo isso.
Aprendemos que ser Anitta é muito mais leve do que parece. Durante o ensaio, se divertiu e se entregou à proposta de homenagear uma geração que acredita que não passará. Pelo ou pelo não, a edição selfie começa agora.
A #selfieWOW da Anitta retrata exatamente a montanha-russa de sentimentos que nos invadiu nas horas em que passamos ao seu lado. Alegria, criatividade, entrega e inteligência.
Anitta é mulher, brasileira, sensual, carinhosa, dedicada e se supera em tudo que faz. Ela virou fenômeno no país diante de nossos olhando quando, na sua primeira selfie, ela ainda era uma menina. Uma menina que investiu e acreditou em si mesma como ninguém mais.
Cada um tem sua história. Se você não parar para ouvi-la, terá em si só julgamentos, muitas vezes copiados e colados, repassados erroneamente de uma forma infeliz.
Nossa personagem é digna de merecimento e esbanja diversão. Conheça a imagem Anitta e a história que a WOW parou para ouvir.

Entrevista:

Pra você, o que é mais importante no trabalho?
As pessoas saírem felizes com o resultado, não importa o que esteja sendo feito. Se for um show, ensaio de fotos ou um programa, o mais importante, pra mim, é que ela saiam felizes com o que eu fiz.
Uma situação de trabalho que tenha a irritado.
Me irrita um pouco quando as pessoas não falam a verdade ou quando tentam me fazer de idiota. Fazem algo que foi combinado para fazer etc. Isso me irrita bastante.
Seu trabalho já foi criticado?
Com certeza. E eu tenho total discernimento para separar se a crítica foi construtiva ou não. Quando vejo que foi uma crítica que faz sentido e é para o meu bem, amo que chegue até a mim. Na verdade, fico até pedindo opiniões para as pessoas obviamente, que têm conhecimento e discernimento. Pessoas que vão me falar críticas para me ajudar. Mas quando são opiniões relevantes, nem ligo.
O que tem mantém na carreira? O maior motivo.
Lembrar como era minha vida antes dela, porque eu sonhava com minha vida assim o tempo inteiro. Sou muito feliz. Amo cantar, isso me faz feliz demais. É o que me motiva. Então se eu tiver algum problema ou algo que talvez possa me fazer pensar em desistir – o que nunca aconteceu, eu lembro desse motivo.
Como você se mantém informada?
Depende. Não sei se consigo responder essa pergunta. Não sei se confio nas fontes de informações que nós temos hoje. Sai tanta coisa por aí, sobre mim, que não é verdade, que fico sem saber se acredito ou não quando saem coisas sobre outras pessoas.
O que você acha da carência de ídolos com essa glamorização de celebridades instantâneas?
Eu acredito que um ídola de verdade não depende das celebridades instantâneas. De existirem ou não. Esse ídolo vai existir, vai fazer sucesso e vai acontecer independente de, no momento, estarem “bombando” as celebridades instantâneas. O ídolo de verdade se concretiza.
Se pudesse mudar algo em como foi educada, o que seria?
Acho a educação da minha mãe excepcional. Acredito que o que existe de defeito que não gosto, não é culpa dela. São coisas da minha personalidade mesmo, porque minha mãe nos criou – eu e meu irmão, de maneira igual. E eu sou diferente dele. Não acho que seja questão de educação e sim de personalidade.
Se pudesse voltar a um dia que viveu, qual seria?
Acho que voltaria ao meu aniversário de 23 anos, quando fui ao show da Rihanna e me diverti como nunca na vida. Mas isso falando de vida pessoal. De vida profissional, o dia da gravação do meu DVD ou o dia que lancei ‘Bang‘, quando fiquei em uma alegria sem fim. Meu aniversário foi um dia muito incrível, não só pelas comemorações, mas pelo carinho que recebi de tanta gente, tantos fãs pelo Brasil inteiro. Pessoas que percebi que conquistei e me mandaram mensagens muito emocionantes e marcaram minha vida para sempre.
O que faz seu coração bater mais forte?
O carinho do meu público. Quando meu show está muito incrível, quando as pessoas estão calorosas… Isso faz meu coração ir a mil, fico muito feliz. Minha família também faz meu coração bater mais forte. Amo estar com eles.
Ser brasileiro é…
Ter que aprender a lutar na vida.
Uma frase, um trecho de uma música, ou um bordão.
Uma frase “Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é“. As pessoas julgam as outras, não é? Eu não faço mais isso… Já fiz muito, hoje em dia não faço mais. Elas julgam sem saber o que as outras passam. Então levo essa frase para mim. Outra frase é “Tudo passa“. Tudo passa mesmo. Tanto as coisas boas quanto as ruins, elas são passageiras. Não podemos nos deslumbrar por um acontecimento feliz e nem ficarmos arrasados por um acontecimento triste.
Ser mulher é…
Ser forte, vencer um monte de barreiras.
Algo que nunca te perguntaram e você gostaria de falar.
Qual é a coisa mais incrível e a pior coisa no ser humano? A mais incrível, para mim, é o altruísmo, quando ele ama e tem vontade de ajudar. A sua compaixão, sua compreensão. A mais horrível é o julgamento sem saber. Isso eu acho muito ruim. O que o ser humano tem demais lindo, tem o oposto dentro dele. Essa vontade de prejudicar, um ódio a troco de nada. O prazer em prejudicar o outro.
Qual foi a sensação de viver esse personagem para a WOW?
Foi incrível! Amei o ensaio. Me senti muito poderosa, muito amada por mim mesma.
Se você tivesse um poder único de mudar o mundo, qual seria a primeira mudança?
Acho que seria o que falei sobre o ser humano. De tirar todos esses sentimentos ruins e fazer com que ele conseguisse evoluir sem precisar passar pelas coisas ruins. Mas isso é muito difícil, então talvez eu mudasse a educação. Educação e oportunidades iguais para todo mundo.
Existe um filme que tenha ficado em você?
Vários! Eu amo esse filme e já assisti milhares. O que mais marcou, que fiquei uma semana com ele na cabeça, se chama ‘Um Sonho de Liberdade‘.
Você tem um mantra?
Acho que não, sempre procuro lembrar um pouco da minha história de antes da carreira. Isso me deixa muito centrada. Quando eu estou com algum problema ou quando estou muito feliz, sempre lembro como eu era antes de ter a vida que levo hoje.
Qual a sua lembrança mais valiosa?
Minha família antes dos meus avós falecerem. Isso me toca muito e fico muito feliz quando penso em todos eles juntos.
Quem te inspira na sua carreira hoje?
Depende do ponto de vista. Se estou falando de responsabilidade e princípios, é minha mãe. Se estou falando artisticamente, é Rihanna.
Descreva seu dia perfeito de folga?
Comendo muito, comendo tudo. (Risos) Vendo filme com pessoas maravilhosas ao meu lado, batendo muito papo. No final, uma festa com amigos, muita dança, alegria e música boa.
Se fosse um estilista, como você desenharia o estilo brasileiro?
Desenharia uma mistura completa, sabe? Uma diversificação em cada peça, porque acredito que isso é o Brasil. O resultado de uma grande mistura.
Cite três coisas que figuram sua lista de coisas não feitas.
Viajar sem trabalhar, porque por mais que eu estivesse de férias, quando viajei, acabei trabalhando. Nossa! Não sei se consigo pensar em três. (Risos) Mas, uma delas, sem dúvidas, é viajar sem trabalhar.
Se você pudesses representar o Brasil com apenas um filme em um festival internacional, qual seria?
Dois Filhos de Francisco‘ porque mostra a garra do brasileiro, sua força de vontade e principalmente sua dificuldade de conseguir conquistar seus sonhos. Além do lado ruim do Brasil, que é a miséria, falta de oportunidade e, às vezes, a falta de caráter do sistema. O filme mostra que os brasileiros são determinados e sonhadores. Pessoas simples e felizes.
Se não fosse Anitta…
Não sei o que seria da vida. Eu não tinha outra alternativa quando criança, só cogitava a hipótese de ser Anitta mesmo. (Risos)
Se pudesse jantar com algum personagem da história, quem seria?
Chico Xavier. Ele tem muita coisa pra nos ensinar.
Se fosse um cartoon, qual seria?
O Bob Esponja, sem dúvida. Ele vive querendo se divertir na presença dos seus amigos, querendo fazer pessoas em volta se sentir felizes, além de amar trabalhar. Ele é tão incrível que nem os seus inimigos ele leva a sério. Tá sempre querendo que seus inimigos se divirtam, sejam felizes. Isso tem muito a ver comigo.
Do que você sente mais saudade?
Da minha avó. Tenho muita saudade dela. Ela já faleceu e por isso não posso matar essa saudade, infelizmente.
Até que ponto você controlou sua vida até aqui?
Minha vida eu controlo, de fato, há uns dois anos. Controlei no início da carreira junto com meu irmão e minha mãe, depois passei a não controlar mais. De uns dois anos pra cá, já consigo controlar minha vida e sou muito feliz. Quando sinto que preciso de ajuda, não tenho vergonha de pedir. Ligo para quem confio e amo e falo “gente, eu queria muito a ajuda de vocês“. Como faça quando sei que tenho um ponto fraco, pedindo que me ajudem com isso.

Fotos:

Vídeo:

01
jul
16

Há dois anos e meio, a Glamour foi a 1ª revista feminina a estampar uma capa com “o fenômeno Anitta”. De lá pra cá, ela foi de funkeira a musa pop, virou sua própria empresária, foi dirigida por Giovanni Bianco (queridinho de Madonna e meio mundo da moda), lançou “Bang” (clipe com mais de 200 milhões de views” e se pré-pa-ra para mirar com tudo numa carreira internacional: na verdade, a nova música “Sim ou Não”, lançada agora em julho, é para o mercado brasileiro, mas ela contou pra gente em primeira mão que se trata de uma parceria com o colombiano Maluma, fenômeno latino que tem 12 milhões de seguidores no Instagram.

Mais madura e ressabiada ao 23 anos, ela ganhou algumas papas na língua por receio de polêmica. Aqui, no entanto, a poderosa dos palcos desce do salto e veste pijama pra mostrar seu lado mais gente-como-a-gente.

GLAMOUR: A Glamour foi a primeira revista feminina a dar uma capa com você em 2014. Desde então, você só fez crescer! Sua vida mudou muito?
Anitta: Muito! Abri a minha empresa, sou minha própria empresária agora, e tudo passa por mim. Meu público mudou, falo pra muito mais gente… Graças a Deus, mudei pra melhor, porque meu trabalho está incrível. Mas sou bem pé no chão. Às vezes, as pessoas têm até que me situar de que sou famosa, do meu tamanho.

G: Nesse tempo, você também mudou sua aparência. Em 2016, você dizia odiar seu nariz, pois havia feito uma plástica e não gostou do resultado. Em seguida, fez outra rinoplastia. Está feliz com o nariz novo?
A: Sim, mas quando eu não gostava do meu nariz, não queria dizer que era infeliz. Sempre fui feliz! Antes, ligava muito pra essas coisas. Hoje, posso até não gostar de algo em mim, mas não fico por ai comentando. E, se mudar, é porque me deu na telha na hora.

G: De fato, a boca não era uma parte do corpo que você queria mudar em 2014…
A: Não era mesmo. Mas é que nem pintar o cabelo. Você não fica o dia inteiro pensando nisso. Um dia você vai e pinta. Tão natural quanto. E boca é algo que faço há muito tempo. A polêmica foi porque me fotografaram no dia seguinte [ao preenchimento], quando os lábios estavam um pouco mais inchados.

G: Ah, mas você não aumentou nem tiquinho a mais dessa vez?
A: Não… Coloco há uns dos anos e vai saindo… aí tem que fazer de novo.

G: Você ainda pergunta pra sua mãe se você mudou?
A: Pergunto. Tenho medo de ser uma pessoa diferente, de me afastar dos meus princípios… Tenho tentado ficar mais compreensiva…

G: Lembro de você falar que se policiava pra não gerar polêmicas. Tem vários artistas que passam por treinamentos até pra dar entrevista…
A: Olha, no meu caso, foi a experiência que me ensinou o que fazer e não fazer. A diferença é que, hoje, tento não deixar abertura pra dupla interpretação, pra que a mensagem seja passada do jeito que quero.

G: Diria algo pra Anitta do começo de carreira?
A: Diria pra ouvir menos as pessoas. É muita gente dando pitaco, e a gente às vezes fica perdida.

G: Bom, agora, nosso ensaio de capa quer mostrar uma Anitta diferente, mais relax, em casa… Nessa pegada, conta pra gente: qual a primeira coisa que faz quando chega em casa?
A: Tiro a roupa toda! Gosto de ficar largada e me desmonto inteira. Minha roupa oficial de ficar em casa é calcinha e sutiã ou camisetão. A segunda coisa que faço é… comer!

G: Dorme em cama de casal?
A: Durmo, mas não ocupo o espaço todo não. Vou jogando a bagunça em cima da cama e, depois, concentro tudo de um lado e durmo do outro. Neste momento, estou deitada no lado da cama que é… meu [risos].

G: Qual o seu ‘look de dormir’? Você dorme de meias?
A: Não. Posso dormir de pijama, só de blusa ou sem nada…

G: Toma banho rápido? Lava a calcinha no banho?
A:Não lavo, não. Tenho pena da água do mundo, gente! E quando os outros demoram, reclamo. Só lavo o cabelo diariamente quando preciso. Se não, lavo dia sim, dia não.

G: Seu box é lotado de produtos pro corpo e pro cabelo?
A: O povo pensa que sou vaidosa, mas sou o contrário. Na minha bancada, só não pode faltar sabonete pro rosto e perfume.

G: Bom, você já revelou que anda de calcinha e sutiã… Por acaso, faz xixi de porta aberta?
A: Faço. Sou muito desapegada [risos].

G: E na sua cozinha, o que não pode faltar?
A: Chocolate branco e ao leite, além de Danone, leite fermentado e frutas (banana é a minha preferida).

G: Assiste ao seu programa no Multishow?
A: O programa é ao vivo, e assisto às reprises. Mas vejo defeito em tudo, sempre acho que poderia ter feito melhor, uma loucura.

G: Você é mais apegada em bicho ou em gente?
A: Em gente! Mas tenho dois cães – o Alfredo, um shih-tzu de 3 anos, e o Olavo, um Cavalier King Charles Spaniel, de 1.

G: Você é prendada em casa?
A: Sei cozinhar de tudo, principalmente massa, panqueca, lasanha, pizza…

G: E já cozinhou pro Pablo Morais?
A: Não rolou. Não tenho tempo…

G: Conta, vai: é namoro?
A: Ainda não. Temos amigos em comum e nos conhecemos trabalhando, num dia em que fizemos fotos no mesmo lugar. Ele já tinha ido num show meu.  A gente sai, só que não tem um nome: pode virar namoro, ou não. Gosto dele, e nos respeitamos pra caramba. Mas não precisamos fazer da relação marketing. Só não nos preocupamos em esconder.

G: Você foge dos lugares cheiros de papparazzi quando sai?
A: Não deixo de ir a nenhum lugar por causa de papparazzi. Quando tenho tempo, gosto de ir ao cinema, de sair… Se o povo pede foto, eu tiro. Prefiro que peçam, senão penso: “Ninguém gosta de mim?”.

G: Qual a primeira coisa que faz quando acorda?
A: Bebo água, mexo no celular, levando assim que toca o despertador. Amo dormir, mas odeio imaginar que pessoas estão me esperando. Sou bem pontual. Já, quando posso, durmo até às 11h.

G: Você anda com seguranças?
A: Só nos shows. Na vida, não tenho escolta. Vou ao mercado, a farmácia, como uma pessoa normal.

G: O episódio com a Ana Hickmann fez você mudar algo?
A: O que aconteceu com a Ana choca porque é superpossível. Porém, quando tem que acontecer, acontece. Dizem que se a gente se expõe na internet, mas se quiserem descobrir onde estou, o hotel é capaz de dizer o quarto. Não da pra controlar. Já cheguei no e encontrei fã lá dentro. Mas não fico dramatizando, senão vão dizer: “Ela quer se promover”. Não quero mais polêmica.

G: Diria algo pra Anitta do começo de carreira?
A: Diria pra ouvir menos as pessoas. É muita gente dando pitaco, e a gente às vezes fica perdida.

G: Em 2014, seu maior sonho de consumo era comprar uma casa com piscina, pra morar com sua mãe e seu irmão. Realizou?
A: Sim! A gente se mudou em abril. A casa ainda está meio em obras.

G: Está participando da reforma?
A: Sim. Gosto do estilo mais cool, moderno e colorido. Mas, pro quarto, prefiro um ambiente calmo, com cores clarinhas e aconchegantes. Cada cômodo aqui é de um jeito. Não queria que os ambientes se conversassem, sabe? A ideia é que os cômodos mudem de acordo com meu mood.

G: Qual foi a coisa mais cara que já comprou?
A: Minha casa. [Especula-se que ela pagou R$ 10 milhões pelo imóvel de cinco suítes, no condomínio onde mora Juliana Paes e Flávia Alessandra, na Barra da Tijuca, Rio].

G: Ouvi dizer que foi um avião…
A: O avião não é meu! Alugo porque viajo muito e é mais econômico alugar. E olha que de contas eu entendo, hein? Faço todas as contas da minha empresa.

G: Gosta de investir?
A: Não, porque teria de ter cabeça e tempo pra cuidar, ou confiar em alguém. Meu perfil é conservador, deixo meu dinheiro aplicado.

G: Onde você mais gasta dinheiro?
A: Já fui de ficar comprando. Hoje, não gosto de gastar com roupa nem coisa pra casa. Prefiro gastar com experiências, tipo festas, viagens, comidas…

G: Tem algum destino dos sonhos?
A: Ah… sou mais e sonhar na minha carreira, sabe?

G: Qual o próximo sonho na carreira, afinal?
A: Me tornar internacional. Falta muito, ainda nem comecei. Não acho que sou pequena, porque estaria menosprezando tudo o que conquistei, mas ainda me acho uma artista ‘normal’. Só que me vejo de todas as maiores maneiras possíveis, cantando no mundo inteiro. Se Deus quiser vou conseguir!

ANITTA RESPONDE OS HATERS…

@_GEOJUNIOR: Daniele Hypolito vai competir na Olimpiada ao som de Anitta. Depois não sabe por que não ganha.
Anitta: Nossa, gente! Se não ganhar na vida é ser feliz do jeito que seu sou, não quero ganhar na vida sempre!

@MARYLOCUTORAMS: Essa Anitta??? Será que um dia ela vai ter sua própria personalidade?
Anitta: Essa aqui é a que está dando certo. Olha aí você falando de mim.

@FABIAMAZZA: Anitta aumentou os lábios pra apioar melhor o microfone neles, né? Não entendo quem canta engolindo o microfone.
Anitta: Ai, que bom que você reparou, amor. Sinal que está me assistindo. Obrigada pelo ibope!

@FLORNANDASZ: Alguém me ajuda. Minha boca ta inchada igual à da Anitta!
Anitta: Aproveita e vai beijar alguém, menina!


  • Sim Ou Não” tem previsão para ser lançada ainda em julho. É um mix de pop, reggaeton e o novo funk rasteirinha – tipo o da música ‘Parara Tibum’ (da MC Tati Zaqui). O clipe será gravado no dia 04 de julho, com participação de Maluma e direção do dominicano Jessy Terrero.

Fotos:

28
jun
16

Anitta é capa da edição de junho da revista Corpo a Corpo, que já está a venda desde o início do mês. Com um ensaio e entrevista em clima descontraído, ela falou sobre sua carreira e cuidados que tem com seu corpo, além de outros assuntos, como críticas que recebe e autoestima. Nessa edição, a revista ainda conversou com pessoas que ajudam a cantora à manter sua aparência, desde sua cabeleireira à seu nutricionista.

Anitta de verdade
Cerca de 30 milhões de seguidores nas redes sociais, disco de ouro já na pré-venda de seu terceiro CD, Bang!, um bilhão de visualizações no YouTube e uma agenda lotada de shows, eventos e entrevistas. De volta às páginas da Corpo, o fenômeno carioca de apenas 23 anos abre o jogo sobre autoestima e carreira e falta que um bom hambúrger faz quando precisa seguir à risca uma rotina de treino e dieta.

Boa noite! Tá no ar o Música Boa Ao Vivo, com cenário novo e apresentadora nova. Quero agradecer a vocês aqui e ao pessoal que está assistindo em casa por participarem de mais uma realização minha. Sempre quis ter um programa, segurar uma ficha… Nem tenho tanta coisa pra falar, mas pedi essa ficha porque dá uma imponência.” Com essas palavras, um vestido preto curtinho e a irreverência de sempre, Anitta assumiu o comando da terceira temporada do musical que vai ao ar no Multishow toda terça-feira, às 20h30. A forma como a atração vem sendo conduzida desde então (dois meses e contando) é resultado de muito ensaio e mostra não só uma vocação clara para o entretenimento, mas também como os anos de prática em sua antiga casa, em Honório Gurgel (RJ), usando um perfume como microfone, valeram a pena. Aliás, foi assim que, certo dia, aos 17 anos, resolveu gravar um vídeo amador simulando a apresentação de um programa em que também cantava e dançava para postar no YouTube. O que ela não imaginava era que a brincadeira chamaria a atenção de ninguém menos que Batutinha, o ‘Midas’ do funk. “Na época, trabalhava na Furacão 2000 (gravadora carioca que produz coletâneas e shows de funk) e uma canção que escrevi e produzi estava indo muito bem nas rádios e nos bailes do Rio. Várias meninas começaram a fazer covers na internet e, logo que vi o da Anitta, pedi para minha equipe localizá-la. Após alguns testes no estúdio, tive a certeza de que havia encontrado alguém com muito talento“, lembra. Ela, claro, não pensou duas vezes antes de abandonar o estágio como administradora em uma empresa e mergulhar de cabeça no que era seu sonho de infância. Mas só em 2012, depois de abrir mão de parte de sua adolescência em busca de oportunidades e perder as contas de quantas vezes fez shows de graça, é que conseguiu fechar contrato com uma grande gravadora.

Nasce uma estrela
No ano seguinte, seu primeiro álbum, homônimo, caiu nas graças do público com Show das Poderosas, lançada contra a vontade de sua equipe na época, que não acreditava no potencial do single. Anitta estava certa. Em pouco tempo, o refrão chiclete dominou as rádios e a coreografia, imortalizada em um vídeo independente, viralizou. “Mesmo sabendo quanto trabalhei pra chegar até aqui, é difícil acreditar que consegui conquistar tantas coisas em tão pouco tempo“, comenta enquanto a manicure retoca o esmalte branco de suas unhas por um mix de dois tons de nude e Renner Souza, seu beauty artist e fiel escudeiro, dá forma e volume ao cabelo, que estava molhado quando chegou ao local das fotos desta edição – um condomínio de luxo na Barra da Tijuca. De lá pra cá, foram inúmeros hits e prêmios (internacionais, inclusive!). A carreira de Anitta continua ascendente e o álbum Bang! é prova disso. “O processo criativo do CD durou cerca de um ano e reflete bem o modo como gosto de gerenciar tudo: com calma. Não me preocupei com prazo ou rótulos. Cantei o que queria e coloquei ritmos que me agradam. Por isso ele é tão eclético“, pontua. Dona de uma autenticidade tão intrigante quanto envolvente, ela já aprendeu o preço de falar o que quer e está disposta a ouvir o que não quer. “Parei de me importar com o que falam quando percebi que, muitas vezes, as críticas são feitas por pessoas que não me conhecem e baseadas em frases que eu não disse ou situações que nunca existiram. Sou muito sincera e nem passa pela minha cabeça mudar para agradar os outros ou evitar comentários maldosos“, dispara.

Espelho, espelho meu
Quando o assunto é sua aparência, Anitta não esconde que já fez mamoplastia redutora, rinoplastia, lipoaspiração e preenchimento labial, mas é categórica ao negar que tais intervenções tenham a ver com qualquer tipo de complexo. “Fiz, sim, cirúrgias plásticas, mas sempre me amei. Só quis melhorar. É como uma pessoa morena que pinta o cabelo de loiro e nem por isso é insegura, neurótica ou depressiva. É apenas para se sentir mais bonita ou diferente“, afirma, enfatizando que seria bem menos vaidosa se sua imagem não fosse tão essencial.
Quando a Anitta vem ao salão, passa por um de nossos rituais, chamado ressurreição capilar, que hidrata e esfolia os fios, reduz o volume, otimiza o funcionamento dos bulbos e regenera as pontas. O corte é simples, só para manter o comprimento“, revela Claudia Luquet, proprietária do Blush Hair Design, no Rio de Janeiro.
Os cuidados com o rosto e o corpo ficam nas mãos de uma pessoa mais do que especial, sua tia, Lurdinha Mattos, enfermeira que há 15 anos se especializou em estética. “Fazemos depilação a laser, limpeza de pele, peeling de cristal e máscaras à base de aloe vera e argila com chá verde para diminuir a oleosidade e recuperar a tez dos efeitos negativos do uso prolongado de maquiagem. Drenagem linfática, radiofrequência e massagens modeladoras semanais, por sua vez, combatem problemas como retenção de líquidos, celulite, gordura localizada, inchaço e flacidez e favorecem a circulação e a produção de colágeno“, entrega.

Guerra contra a balança
Anitta assume que tem dificuldade em fazer dieta, sim, mas não faz disso um drama. “Tento buscar o equilíbrio. Há momentos em que estou a fim de acordar cedo, treinar e comer alimentos saudáveis, mas, se tenho vontade, me permito uma ou outra besteira sem culpa. Meu termômetro são minhas roupas: se elas começam a não servir mais, sei que está na hora de fechar a boca e correr atrás do prejuízo“, admite. A cantora não tem alergia ou intolerância alimentar e é contra cardápios megarrestritivos.
Propus a redução do consumo de carboidratos e o aumento do de proteínas, fitoquímicos e gorduras boas, com receitas fáceis de fazer e que promovem saciedade. Para controlar a vontade de comer doces, por exemplo, sugeri sementes de abóbora, ricas em cromo, e snacks de coco, fonte de fibras e ótima pedida para a sobremesa ou para o lanche da tarde“, indica o nutricionista Luciano Bruno, de São Paulo. Ovos, oleaginosas e frutas de baixo índice glicêmico fazem parte do plano alimentar elaborado para a toda poderosa, bem como chás termogênicos e antioxidantes, como o branco, o verde, o de gengibre e o de mulungu com própolis. “Esses chás são ricos em compostos fenólicos, que estimulam a queima de calorias e diminuem o acúmulo de gordura“, esclarece Luciano.

Essa mina é fit
Ou quase. Quem acompanha seu dica a dica no Snapchat sabe que a cantora vive em uma eterna luta contra a preguiça na hora de praticar atividades físicas. “Amo comer e dormir, mas meu trabalho me obriga a não descuidar da saúde. Se paro de treinar, deixo de render no palco“, conta. Assim que decidiu tomar as rédeas de sua carreira, em 2014, Anitta diminuiu sua média mensal de shows de 30 para 10 em busca de qualidade de vida, mas, mesmo assim, está sempre ocupada por conta de algum compromisso profissional. “Parei de me sentir obrigada a ir à academia todos os shows. Vou três ou quatro vezes por semana porque minha prioridade é meu bem-estar. Não adianta estar supergostosa à custa de viver exausta“, diz. A solução? Achar uma maneira prática e prazerosa de colocar o corpo em movimento. “Adoro andar de patins, é praticamente uma terapia antiestresse. Além disso, subo vários lances de escada, faço aula de dança e caminho ao ar livre. Ah, também gosto de lutas! O que detesto mesmo é a esteira. Você faz 10 minutos e parece que está lá há duas horas!“, brinca. Sempre que pode, Anitta investe nos chutes e socos mesclados a um treino funcional com a ajuda dos personal trainers Chico Salgado e Rodrigo Ruiz, do Rio de Janeiro e de São Paulo, respectivamente. “Rodrigo e eu sempre trocamos informações sobre os treinos para que ela consiga potencializar os benefícios. Ela é uma aluna comprometida e se entrega de corpo e alma“, elogia Chico. “As aulas duram mais ou menos uma hora, trabalham o corpo todo e são bem dinâmicas e intensas“, completa Rodrigo Ruiz. Outro profissional que dá uma forcinha nos exercícios é o personal trainer Bruno D’Orleans, do Rio. “Nosso treino foca em descanso ativo e musculação para turbinar o gasto energético, estimular o ganho de massa magra e melhorar a parte cardiorrespiratória“, explica.

Fotos:

Scans:

08
jun
16

Capa da Revista Regional do mês de junho, Anitta fala sobre suas polêmicas, seu projeto mais recente, apresentar o Música Boa Ao Vivo, além de conversar sobre sua nova turnê. Confira a entrevista completa e, no fim do posts, as fotos para do ensaio para a revista.

Tudo o que ela faz ou diz vira notícia. A mais recente foi o preenchimento labial que deu no que falar. Mas, como sempre, Anitta levou tudo com bom humor. “Sou uma pessoa que assume o que faz. É besteira ficar mentindo. Não gosto, não sei e não deixaria de fazer o que tenho vontade só porque fulano ou beltrano irá comentar ou pensar X ou Y“, reponde firmemente. Dessa vez, com novo projeto, ela divide seu tempo entre o palco e a televisão, onde também demonstra seu talento como apresentadora no “Música Boa Ao Vivo”, no Multishow, e explica que a ideia de participar desde programa é acabar com o preconceito musical. “Quero quebrar barreiras, de idade, ritmo, esteriótipos de que se uma pessoa é nova, não entende de música antiga. Se ela canta funk, não entende de MPB. Se é bonita não pode ser afinada. Se fez plástica, não tem talento pra apresentar. Eu quero quebrar esses preconceitos que ainda existem no Brasil“, diz. Cheia de atitude e personalidade, a cantora encara o desafio de improvisar, mas diz que não pretende mudar o seu jeito de ser, só pra agradar as pessoas. “Vou continuar sendo quem eu sou. Acredito que até agora tenha dado certo, por isso a emissora me convidou. Não faz nenhum sentido mudar. As pessoas estão abertas a interpretações. Quanto mais eu tentar mudar pra agradar X ou Y, vou desagradar o Z, que já gosta de mim do jeito que eu sou. Então vou continuar sendo eu mesma, por mais que as pessoas comentem, se elas pararem é porque estão desinteressadas, e o interesse é uma coisa boa. Por mais que me custe uma fofoquinha ou outra, a verdade é sempre a melhor opção. O público tem que se acostumar a ouvir a verdade“, desabafa. Nessa entrevista, ela ainda fala sobre sua nova turnê ‘Bang Tour‘, além das parcerias pra lá de especiais, e a importância, não só da música em sua vida, mas de ser honesta com seu público.

RR: Recentemente saíram algumas notícias sobre um procedimento estético que você havia feito nos lábios e que teria se arrependido e queria reverter a situação. É verdade?
Anitta: Não! Sou uma pessoa que assume o que faz. É besteira ficar mentindo. Não gosto, não sei e não deixaria de fazer o que tenho vontade só porque fulano ou beltrano irá comentar ou pensar X ou Y. O que considero importante é o respeito com a vida do próximo. Gosto de ser verdadeira, primeiro porque não sei mentir, e não quero enganar ninguém. Quando eu era público, sempre me perguntava porque não era igual a fulana, que é tão maravilhosa. Se eu fiz uma dieta e sequei, e a pessoa está querendo ter o meu corpo, não vou dizer que eu não fiz nada. Tem gente que faz isso. Eu não conseguiria mentir, porque o meu fã ficará dentro de casa, se perguntando porque a Anitta tem esse corpo, se ela não faz nada. Não! Eu fiz um monte de coisas, se você fizer também ficará. Gosto de ser verdadeira para as pessoas entenderem que não caiu do céu ou são sortudas. A vida é de verdade e acontece. Gosto de ser sincera e sempre serei. Por mais que me custe uma fofoquinha ou outra, a verdade é sempre a melhor opção. O público tem que se acostumar a ouvir a verdade.

RR: Passado o tempo, como você lida com essa situaçaão? Esse assunto ainda te deixa desconfortável?
Anitta: Quando as pessoas estão comentando, bem ou mal, é porque elas têm interesse em você. Se elas estão prestando atenção é bom, porque é sinal de que você é uma pessoa interessante. Se você fosse uma pessoa irrelevante, ninguém estaria procurando saber sobre sua vida. É a resposta de que meu trabalho está indo muito bem, e que as pessoas estão interessadas em saber da minha boca, imagina do resto…

RR: Com trabalho a todo vapor, você também lançou a nova turnê ‘Bang Tour‘, Poderia falar um pouco sobre este novo projeto? Você também terá algumas participações especiais?
Anitta: Esse disco apresenta uma nova Anitta, com uma nova linguagem e para todas as idades. É uma virada de página na minha carreira. Queria mostrar o poder de um acerto no alvo. Por isso, escolhi fazer um álbum múltiplo, com músicas bem diferentes entre si. O lançamento tem uma direção criativa. Neste disco quero ousar, oferecendo ao público um conteúdo inédito e irreverente. Eu conversei com o Giovanni (Bianco) e disse tudo o que eu precisava ter nesse trabalho e a mensagem que eu gostaria de transmitir. O próprio nome ‘Bang’ foi uma sugestão dele, quando eu falei que queria passar a ideia de um tiro certeiro, uma tacada incrível. E eu achei perfeito. Eu já tenho um show com o Nego do Borel e, além de querer ter um ‘funkão’ no disco, quis levar essa parceria para além dos palcos. Foi um caso parecido com o da Cone Crew, já que também temos um show juntos e eu amo rap! Por outro lado, eu nunca trabalhei com o Dubeat, mas conheci o trabalho dele, adorei, e resolvi chamar. Sempre converso com o Jhama sobre composições. Ele me presenteou com duas músicas que eu amei, ‘Essa Mina é Louca’, que gravamos juntos, e ‘Cravo e Canela’. Essa segunda achei a cara do Vitin, do Onze:20 e por isso o convidei para cantar a música comigo. Sou fã do trabalho dele.

RR: No Multishow você estreou como apresentadora do programa ‘Música Boa Ao Vivo‘, que fica até outro. O que os fãs podem esperar dessa Anitta multifacetada?
Anitta: Estou muito feliz e também ansiosa! Teremos mais surpresas nesta temporada, criamos quadros e edições temáticas, queremos trazer coisas diferentes, abrir espaço para novos artistas e também ter mais interação com o público de casa. Eu sempre quis ser apresentadora, desde pequena sonhava com isso. Fiquei muito feliz com o convite do Multishow. É um sonho realizado. É muito especial fazer o programa acontecer e o mais legal é interagir com todos os convidados.

RR: Existem muitos apresentadores que estão na estrada há anos, mas os programas ainda são gravados. De alguma forma, essa situação te deixou nervosa, por ser ao vivo?
Anitta: Eu já apresentei o TVZ ao vivo, e nós só marcamos a minha posição um dia antes. No dia seguinte, cheguei 40 minutos antes e levamos o programa de maneira natural. Eles nunca tinham me visto, mas foram bem confiantes (risos). Não havia participantes, era só eu e o público. Fiquei mais de duas horas no ar e foi bem tranquilo. No ao vivo deu tudo certo, foi incrível. Me deixaram livre pra eu fazer da forma que eu acreditasse. Aqui, converso sempre com as pessoas que escolhem o repertório e decidimos juntos. Na hora falamos o que vai acontecer, por isso, não precisamos de muitos ensaios. Eu faço show todos os dias ao vivo. Estou muito acostumada.

RR: Já percebemos que você funciona super bem no improviso, mas ao mesmo tempo, qualquer palavra errada que você fale gera certa polêmica. Você pretende se policiar ou será natural?
Anitta: Vou continuar sendo quem eu sou. Acredito que até agora tenha dado certo, por isso a emissora me convidou. Não faz sentido nenhum mudar. As pessoas estão abertas a interpretações. Quanto mais eu tentar mudar para agradar X ou Y, vou desagradar o Z, que já gosta de mim do jeito que eu sou. Então, vou continuar sendo eu mesma, por mais que as pessoas comentem, se elas pararem é porque estão desinteressadas e o interesse é uma coisa boa.

RR: Você é uma cantora que começou com o funk, mas hoje conversa com vários ritmos. De que maneira você pretende imprimir a sua personalidade no programa?
Anitta: Vai depender do tipo de artista que nós teremos no programa, porque se for uma mistura, por exemplo, de pessoas irreverentes e pra cima, conseguiremos criar um repertório que tenha a cara deles. Se for com pessoas mais sérias, mais velhas, que conversem com este tipo de público, tudo bem, porque vamos mudando o discurso e a forma que nós conduzimos a situação. É basicamente o que eu costumo fazer em cada programa, seja para o público infantil, de mães, jovens ou gays. Mudamos o discurso e não a entonação. As parcerias são bem inusitadas por misturarem pessoas que nunca imaginariam que fossem cantar juntas.

RR: Alguns nomes como Jorge e Mateus e Sorriso Maroto fizeram parte da estreia do programa. Você tem liberdade de convidar artistas?
Anitta: Até dei uma antecipada, nem sabia se podia, mas fizeram uma fofoca entre mim e Ludmilla. Quero dizer que ela esteve no meu programa. Com certeza vamos convidar pessoas que tenham a ver com o ‘Música Boa Ao Vivo’ e com o público. Não basta eu dizer quem eu gostaria de levar. Tem uma galera que entende sobre audiência. Eu tenho algumas ideias, mas são eles que irão dizer sim ou não. Nós daremos oportunidade pra galera desconhecida se apresentar também. Teremos muito trabalho e cada apresentação será única e diferente. Será um programa que a minha mãe e minha irmã irão amar.

RR: O nome do programa é bem sugestivo, por isso, ter pergunto, o que você considera uma boa música?
Anitta: Música boa é a que faz você querer ouvir novamente. É feita com carinho, que te faz querer aumentar o som, seja num momento em que você está bem ou não. Música boa é bem-feita!

RR: Mesmo com a turnê você conseguiu encaixar o programa na sua agenda. Esse já era um projeto planejado? A emissora já havia feito convite anteriormente?
Anitta: Rolou dessa vez, mas eu já disse sim na mesma hora, não pensei nem por três segundos. O que me fez aceitar, é porque eu amo o programa, quero mostrar para o público que é possível cantar vários ritmos ao mesmo tempo. Quero quebrar barreiras, de idade, ritmo, estereótipos de que se uma pessoa é nova, não entende de música antiga. Se ela canta funk, não entende de MPB. Se é bonita não pode ser afinada. Se fez plástica, não tem talento pra apresentar. Eu quero quebrar esses preconceitos que ainda existem no Brasil. Sobre a agenda de shows, o que eu fiz foi concentrar nos dias em que eu não tenho programa, que acontecem nas segundas e terças. Minha agenda não é só de shows, porque eu tenho campanhas publicitárias, vídeo clipe, CD, estúdio… A quarta-feira eu deixei reservado para o pessoal da publicidade. Quinta, assessoria de imprensa, e na sexta-feira deixei aberto para algo que apareça, mas também faço shows à noite, inclusive sábado e domingo. Minha agenda sempre foi muito corrida, gosto desse esquema. A única coisa que nós ficamos meio assim é quando surge convite internacional, mas nós estamos nos ajeitando.

RR: Seu desempenho como apresentadora tem sido excelente. Se pintar o convite para participar da segunda temporada do programa, você pretende aceitar?
Anitta: Se depender de mim, se Deus quiser, nós vamos continuar. Estou muito feliz. Eu até perguntei quantas temporadas eram essa edição. O programa acontece no Rio de Janeiro, e pra mim está sendo incrível, porque pelo menos eu consigo ficar duas vezes na as semana em casa. Havia dias que eu nem via a minha casa. Moro com a minha família, e a vida deles continua bombando. É bom estar em casa.

RR: No Brasil, existem muitos programas e você já comentou que quando era criança brincava de ser apresentadora. Dentro deste universo, você se inspirou em alguém?
Anitta: Quando eu era criança, sempre assistia e reproduzia um programa na minha casa. Meus convidados eram bichinhos de pelúcia. Eu tinha meu microfone e, às vezes, até os meus familiares participavam da brincadeira. Todo mundo tinha que fingir e os meus primos eram obrigados a cantar. Se você conversar com a minha mãe, ela irá contar tudo que eu fazia quando eu era menor. Uma loucura! Sempre fui muito fã de televisão porque sempre quis trabalhar nela. Ela fez parte da minha infância e adolescência. Talvez, por isso, eu consiga fazer de forma tranquila, não fico nervosa e nem me sinto pressionada. Aliás, eu fui descoberta dessa maneira. Coloquei um vídeo no youtube em que eu apresentava. Peguei minha câmera de vídeo e fiz um programa falso. Eu era cantora, apresentadora e dançarina. Um produtor viu o vídeo e me convidou para cantar. Uma loucura! Claro que eu fiz o favor de apagar este vídeo, pelo menos na minha memória não tem mais (risos). Espero que ninguém tenha acesso, porque você imagina que as pessoas falam qualquer coisa. Seu eu errar uma preposição, uma conjugação verbal, é capa de jornal, imagina se esse vídeo reaparece? Acabou!

RR: Em algum momento você ficou preocupada em ter que dar audiência no programa?
Anitta: Se existe alguma cobrança, eu não estou sabendo, mas sou muito critica e exigente comigo. Sou assim nos meus clipes, lançamentos, então imagina num programa. Eu fico em cima, querendo que aconteça. Sou bem chata com as minhas coisas. Quero que todo mundo tenha bons resultados. Sou assim quando estou trabalhando. No programa não será diferente, mas não por conta do canal, e sim porque sou exigente.


Fonte: Revista Regional
Matheus Postagem por: Matheus
14
maio
16

Ousada até: Anitta é a estrela da capa da revista Joyce Pascowitch de Maio. No dia do ensaio, TV Glamurama fez um bate bola exclusivo com a cantora que não tem medo nenhum de ousar e não tem limites de onde quer chegar.
Na entrevista, Anitta fala sobre politica, shows, manias e muito mais!

Assista:

12345... 6»
Agenda da Anitta
Principais tags
13/05
Expo Palmeira no Complexo Esportivo
Palmeira - PR
20/05
Recinto de Exposições de S. José do Rio Preto
São José do Rio Preto - SP
25/05
Balada Loka no Pavilhões Festa da Uva
Caxias do Sul - RS
26/05
Woods Arena
Porto Alegre - RS
28/05
Show das Poderosinhas no Aud. Araújo Vianna
Porto Alegre - RS
Layout por Print Creative · Central Anitta · Alguns direitos reservados · 2014 ∞ · fãs online