Central Anitta » i-D: Anitta cresceu em uma favela e se tornou a maior estrela pop do brasil
31
maio
18

Ela tem 28,5 milhões de seguidores no Instagram. Conheça a maior exportação pop do Brasil.

Em seu primeiro quarto de século neste planeta que chamamos de terra, a estrela pop brasileira Anitta se apresentou nas Olimpíadas (cantando, não arremessando pesos ou algo assim); ganhou cinco MTV Europe Music Awards; acumulou mais de 18 milhões de ouvintes mensais do Spotify; Trabalhou com todos, desde o supervisor do EDM (Musica Eletronica) Alesso (Is That For Me) ao Major Lazer (Sua Cara) até J Balvin (Downtown) e teve grandes sucessos em português, espanhol e inglês. Se tudo isso não foi impressionante o suficiente, no ano passado a Billboard nomeou-a a 15ª artista mais influente do mundo nas redes sociais, à frente de artistas como Lady Gaga, Beyoncé, Shakira e Rihanna. Nada mal para alguém que cresceu em uma favela, se educou na igreja, concluiu um curso de negócios e constantemente levou sua música para fora do Rio, depois para fora do Brasil.

Com a música latina no topo de uma onda do Despacito e Mi Gente fora do seu idioma demográfico de língua espanhola, o tempo parece bom para Anitta – que irá se apresentar no Royal Albert Hall de Londres em 28 de junho – para se impor. Como descobrimos nesta conversa esclarecedora, ela está feliz em continuar sendo feliz e mais sucesso seria um bônus adorável.

I-D: Olá Anitta. Onde você está agora?
Anitta: Estou no Brasil. Trabalhando.

I-D: Em que você está trabalhando?
Anitta: Bem, estou falando com você. Mais tarde tenho ensaios para os prêmios da MTV aqui no Brasil e depois tenho reuniões. Aqui eu sou minha própria empresaria, então quando eu não estou fazendo a parte de artista eu estou fazendo a parte de gerenciamento.

I-D: Caramba. Quando você teve um dia de folga?
Anitta: Não me lembro… Não, espere, acho que foi na outra semana! 8 de maio! O próximo é na quinta-feira, graças a Deus.

I-D: Você acha fácil relaxar?
Anitta: Ai sim! O que eu realmente preciso fazer, e acho que é realmente importante, é bloquear meu celular. Quando é um dia de folga, se você está no seu telefone, você nunca vai descansar do jeito certo. Até pensar em trabalho é trabalho. Quando estou descansando, prefiro trancar meu celular e peço às pessoas que estão comigo que não estejam em seus telefones também.

I-D: Você acha que estamos obcecados demais com nossos telefones em geral?
Anitta: Olha, eu acho que a internet e os celulares mudaram o mundo. Para mim, é bom porque quero ser um artista internacional, mas acho que precisamos saber usá-los corretamente. As pessoas são viciadas. Eu fui. Mas aprendi que há um tempo para ficar sem isso. Precisamos de tempo para descansar e respirar.

I-D: Falando de mídia social, é verdade que 10% da população brasileira segue você no Instagram (ela tem 28 milhões de seguidores) ?! Isso é loucura.
Anitta: Sim. É muita pressão porque os brasileiros são muito calorosos e querem compartilhar amor e estar com você, então é complicado. Eu tento manter um equilíbrio. Quando vejo pessoas fazendo qualquer coisa por um vídeo, uma foto ou algo parecido, eu digo “ei, apenas aproveite o momento”. Eu me certifico e digo para eles relaxarem. Eu tento educá-los.

I-D: Seu nome verdadeiro é – desculpas pela pronúncia – Larissa de Macedo Machado. Por que você mudou para Anitta?
Anitta: Larissa é um nome comum aqui, e eu queria me destacar. Eu queria um nome que quando as pessoas dissessem só podia ser eu. Anitta é de uma série de TV no Brasil que eu costumava assistir quando era adolescente e ela era a garota que poderia ser o que ela queria ser. Não era necessário que ela fosse apenas uma mulher.

I-D: É também um nome, como Beyoncé ou Rihanna.
Anitta: Exatamente! Você não encontra Anitta facilmente no Brasil. Quando você diz Anitta sou eu.

I-D: De onde você tirou sua paixão pela música?
Anitta: Eu comecei a cantar na igreja com meu avô. Foi bom porque eu cresci em um lugar que era realmente humilde e se você não tinha dinheiro, era muito difícil para você aprender coisas, seja música ou inglês. A igreja era como escola para mim. Tudo o que sei sobre música eu aprendi lá.

I-D: Quem eram seus ídolos musicais crescendo?
Anitta: Mariah Carey foi a maior deles. Então Beyoncé e Rihanna. Muitos artistas brasileiros via MTV.

I-D: Como você foi de cantar em um coral para ser a maior estrela pop do Brasil?
Anitta: Então, eu sempre gostei de cantar e coloquei um vídeo no YouTube meu, cantando e dançando, como se fosse uma piada, e um produtor viu. De lá eu comecei a fazer música e ir de favela a favela – eu morava em uma favela – e depois de lá fomos para a cidade, depois para o estado e depois para o país e depois para outros países.

I-D: Você pode descrever como é viver em uma favela?
Anitta: É como um gueto. É o que você vê no meu vídeo “Vai Malandra“. Pessoas que não têm a opção de morar na cidade, vão para a favela. É mais perigoso. É como uma guerra todos os dias na sua cidade.

I-D: Você se sente mais orgulhoso de suas conquistas até agora porque não foi entregue a você com facilidade?
Anitta: Sim, absolutamente. É uma maneira difícil de fazer isso com certeza. Eu posso dar um exemplo para pessoas que não acreditam que é possível conseguir coisas. Eu sou um exemplo que é possível.

I-D: Você também estudou negócios – por que era importante ter outra opção?
Anitta: Bem, agora eu administro meu próprio negócio. Eu posso orientar meus funcionários e minha equipe. É mais fácil. Foi difícil entrar no ensino superior, mas minha mãe sempre foi meu exemplo brilhante. Eu uso isso no meu trabalho o tempo todo.

I-D: Você gosta de ter controle total?
Anitta: Sim. Até encontrar alguém que possa pensar por mim ou ensinar alguém a pensar como eu. Este é um trabalho muito difícil – você perde a sua privacidade, você tem que dar tanto – então pelo menos você precisa ser feliz quando fizer o seu trabalho. Eu tento fazer tudo da melhor maneira possível.

I-D: O ano passado foi anunciado como um grande avanço para a música latina – você acha que essa onda veio para ficar? Você está interessada em fazer parte disso?
Anitta: Eu acho que é como uma missão no meu país. Nós fazemos uma troca de uma maneira, porque eu sei que somos latino-americanos, mas falamos português. Eu tenho a missão através do pop para juntar os dois, para ligar português e espanhol. Eu gostaria de fazer as pessoas no Brasil ouvirem outras línguas, e eu gostaria de fazer as pessoas de outros países ouvirem o português.

I-D: Seu colaborador anterior, J Balvin, se apresentou no Coachella com Beyoncé, o que pareceu um grande momento. Você ficou animada?
Anitta: Foi maravilhoso. Eu me senti tão feliz por ele porque, ele é um irmão para mim. Ele me ajudou muito. Espero que ele fique cada vez maior e a coisa mais incrível é que ele pode fazer isso em sua língua, e isso é realmente incrível.

I-D: Porem isso pode ser como uma restrição? Ser visto apenas como um artista latino ou sul-americano? Você parece um artista realmente global.
Anitta: Olha, eu acho que a linguagem é uma parte difícil, mas com a internet, tudo está se tornando apenas uma coisa. A música que eu fiz com Major Lazer toca em muitos países, mesmo em português, então às vezes podemos ignorar essas coisas. Com a internet, acho que nos aproximamos.

I-D: As pessoas costumam falar sobre ‘quebrar’ a América, é isso que você está interessada em fazer? Você está fazendo mais colaborações em inglês.
Anitta: Estou muito feliz com o que tenho hoje. Se eu ficar maior, vai ser incrível e eu ficarei muito feliz. Mas se é isso, então estou feliz também. Eu não quero ser a número um, só quero ser feliz e já sou. Eu definitivamente posso viver sem isso.

I-D: Eu vi no seu Instagram que você trabalhou recentemente com Pharrell – como foi isso?
Anitta: Eu estava no estúdio com ele e foi incrível. Quando ele me ligou eu não pude acreditar. Foi tão especial para mim. Eu chorei muito.

I-D: Você se sente como um modelo? Em caso afirmativo, qual mensagem você gostaria de enviar?
Anitta: Eu gostaria de ser um exemplo de uma pessoa real. Às vezes as pessoas pensam que pessoas famosas não podem cometer erros ou errar, às vezes as pessoas acham que somos perfeitos, mas eu quero mostrar que é normal estar errado às vezes. Somos humanos. Eu mostro minhas imperfeições e digo ‘ei, isso é normal’.


Fonte: i-D

Deixe seu comentário!
Agenda da Anitta
Principais tags
15/01
A Melhor Segunda-Feira do Mundo
Salvador - BA
19/01
Multiplace Mais
Guarapari - ES
20/01
Ensaio Bloco das Poderosas na The Week
São Paulo - SP
21/01
Show das Poderosinhas no Fest Verão Sergipe
Aracaju - SE
26/01
Amuse Hall
Atibaia - SP
Layout por Print Creative · Central Anitta · Alguns direitos reservados · 2014 ∞ · fãs online