Central Anitta » Revista UBC: A Construção de Uma Estrela
01
maio
16

Uma pesquisa sobre Anitta no apartado de notícias do principal buscador do planeta devolvia instantaneamente, no final de abril,mais de 218 mil entradas. É coisa à beça. Não que ela ameace o reinado midiático dos dois primeiros lugares da lista de “maiores celebridades” nacionais da revista americana obcecada por rankings “Forbes” – Neymar (quase 13 milhões de resultados) e Gisele Bundchen (1,1 milhão) governam, incontestes -, mas os números indicam que seu jamais oculto desejo de se converter em uma superestrela do pop trilha o caminho correto. Contribui para essa certeza a predominância de : a) reportagens positivas; b) reportagens sobre qualquer coisa que não as da ex-funkeira tornada diva com ajuda de uma potente e, por aqui, ainda rara operação de marketing. Que não se engane, contudo, o leitor: Anitta pode ser princesa do noticiário de fofocas de famosos (nenhum dos outros colocados do ranking da revista, no qual não é mencionada, a supera), mas tem, sim, muito mais que dizer para além das suas comentadas transformações físicas, dos seus afetos e desafetos e das diárias conjecturas sobre seus affairs amorosos.

Para começar, a construção de sua imagem veio acompanhada de uma boníssima construção de carreira. Anitta compõe a maioria das músicas que canta, tem uma voz poderosa, afinada, e faro para o sucesso. “Componho por prazer, sempre compus, desde o inicio”, diz à Revista UBC. “E conto com a parceria dos meus produtores Umberto Tavares e Jefferson Junior em muitas das minhas músicas, além de receber composições incríveis de amigos e parceiros.” Não é só por isso. Ela participa – e nisso não difere de uma artista independente qualquer – de todas as tomadas de decisões sobre seu repertório, da pré-produção, da produção, das estratégias de distribuição e até de um ponto ainda pouco observado por criadores e cantores no nosso país: direitos autorais. Anitta só assina contratos de shows condicionando a performance à comprovação de depósito ao Ecad. Em outras palavras, sem o repasse, nem sequer sobe ao palco. Um luxo a que se podem permitir poucos, é verdade, mas nem por isso aproveitado pelos maiores da nossa música. “Conto com uma equipe que me ajuda, pessoas muito talentosas que trabalham comigo, mas faço questão de estar à frente de todo o processo”, descreve.

A equipe a que ela se refere a auxilia por meio de armas profissionais e certeiras. Apela para pesquisas de opinião, usa o termômetro do que se diz sobre ela nas redes sociais à perfeição, analisa tendências de gêneros e estilos mais populares quase um tempo real e prospecta os melhores nomes – entre músicas, produtores, figurinistas, stylists, designers, compositores – que possam contribuir com seu projeto evidentemente ambicioso. Ruídos como a briga pública com a ex-empresária por um suposto rombo contábil milionário não abalam a ascensão da estrela.

CONEXÃO RIO-CALOFÓRNIA

Fã declarada de deusas do panteão pop global tipo Beyoncé, em quem se inspirou em alguns de seus clipes, como o do sucesso “Show das Poderosas” (2013), tem se aproximado do superprodutor americano Diplo, um dos responsáveis pelo êxito da americana e de outros astros de primeira grandeza do sistema estelar estadunidense, como Justin Bieber, Chris Brown e Snoop Dogg. No início de abril, gravava um novo single em Los Angeles produzido por Dae One, tido também um mago a quem se atribui a transformação radical na trajetória de Dogg, do submundo de Longbeach, na Califórnia, para o mainstream da música e do cinema no seu país. Anitta, que percorreu senda semelhante ao deixar o universo do funk circunscrito ao subúrbio do Rio de Janeiro para alcançar voos vem mais altos, demonstra se aproximar de quem lhe é afim. “Vamos chocar o mundo”, anunciou o animado produtor californiano, que estaria planejando uma “guinada para o hip hop” no estilo da carioca.

DE LARISSA A ANITTA

Nascida há 23 anos no bairro de Honório Gurgel, Larissa de Macedo Machado é filha de uma artesã e um vendedor que lhe proporcionaram uma infância cômoda e sem grandes percalços. Teve contato desde cedo com a música, segundo atesta, suas mitas “biografias” espalhadas pela rede. Aos 8 anos já cantava no coral de uma igreja católica na mesma zona onde vivia, mas suas aspirações artísticas profissionais só emergiram muitos anos e um curso técnico de administração mais tarde. Revelada num concurso na TV, tomou a primeira das muitas decisões deliberadas que a levaram aonde está: deixou um promissor estágio na multinacional Vale para se dedicar por completo à construção de sua carreira. Fã da minissérie da TV Globo “Presença de Anita”, tornou-lhe o nome e a atitude sexy, decidida, da protagonista e, por proximidade física e cultural, passou a batalhar por seu lugar no competitivo universo funkeiro.

A imersão total no batidão não durou muito tempo. Sem jamais abandonar suas raízes, como reafirma, abraçou o pop e as múltiplas possibilidades que esse estilo mais global e palatável poderiam lhe oferecer. “Comecei minha carreia no funk, adoro e canto até hoje”, sustenta. “Assim como canto os demais ritmos em meus shows e álbuns. Sempre fui eclética, e minha base inclui todos os ritmos. Acho que aos poucos o funk foi mostrando a que veio, ganhando seu espaço, e hoje tem alcançado cada vez mais lugares no Brasil e no mundo. Mas minha vontade sempre foi poder cantar de tudo. Hoje eu consigo.

TEM ALGO DIFERENTE NO RADAR

Uma precoce turnê internacional, em 2014, um ano depois do lançamento do primeiro disco, “Anitta”, pela Warner, levou-a a lugares como Lisboa, Madri e Barcelona. Alguns meses depois, Nagoya e Tóquio. Somado aos frequentes contatos com produtores americanos, esse movimento diz muito sobre seu desejo de internacionalização. Descrita como “exótica”, “sexy”, “bela” em sites estrangeiros em cujos radares já figura – um deles fez uma “degustação” às cegas do clipe da recente canção “Bang” entre adolescentes americanos, que ressaltaram as coreografias sensuais e o ritmo contagiante -, ela não crê que o português represente barreira. Mesmo assim, já teria novas músicas em espanhol engatilhadas e – a bala de prata – uma versão em inglês de “Bang” pronta para ser lançada e, espera-se, bombar no verão do Hemisfério Norte. “Entre suas ambições está mesmo alavancar de vez a tão sonhada carreira internacional. Ela acaba de gravar a versão de ‘Bang’ em inglês justamente com esse objetivo. Anitta nasceu com borogodó, mas nunca vi uma artista tão comprometida”, disse à revista “Veja” o presidente da Warner no Brasil, Sergio Affonso.

Foi por essa gravadora que ela lançou, em outubro, o álbum “Bang”, ‘tiro certeiro’, como ela define, marca a definitiva guinada para o pop e já vendeu 300 mil cópias. O salto para o inglês seria só mais um passo bem estudado da artista. “A música boa é universal. Não importa em que língua ela é cantada. A música brasileira tem garantido seu espaço mundo afora, e isso mostra a enorme qualidade dos artistas nacionais. Fico muito feliz em fazer parte desse time. Mas geralmente outros países têm como foco principal a língua universal (inglês) e sua própria língua. Eu jamais descataria (cantar em inglês)”, Anitta argumenta.

O resultado de uma ainda incipiente exposição na Europa já rendeu frutos. Ano passado, ela faturou o troféu de melhor apresentação internacional latina do European Music Awards, a premiação continental da MTV: “Para mim, cada premiação, elogio e oportunidade de crescimento é uma forma de reconhecimento do trabalho de formiguinha que eu venho fazendo desde o início da minha carreira. Sempre fui muito dedicada em trazer novidades para o meu público, seja no repertório, nas parcerias, no conceito diferente de um novo disco… Em ‘Bang’ apresentamos inovações gráficas também, que foram feitas pelo Giovanni Bianco e por sua equipe com base naquilo que conversamos e que eu queria”, diz, referindo-se às comentadas inserções que provam o clipe do single principal e também a arte do álbum.

Caso atinja seu objetico e se lance de fato à fogueira global de vaidades, Anitta é consciente  de que pode ser queimada. Ainda em 2013, o jornal inglês “The Guardian” publicou uma reportagem do seu correspondente no Rio de Janeiro criticando as transformações físicas que a cantora vem realizando. O ponto mais polêmico do texto cogita um tratamento de clareamento de pele – que Anitta nega com veemência – para acompanhar o alisamento dos cabelos e a plástica que lhe afinou o nariz. A cantora, que admite recorrer a procedimento estético reitera constantemente o orgulho por suas origens, sejam elas geográficas, estéticas, étnicas. Antes mesmo das previsíveis criticas mundo afora, numa era em que, protegidos pelo anonimato, ‘odiadores’ profissionais metralham ofensas pela rede, Anitta demonstra enfrentar serenamente os ataques que recebe em casa. Continua a fazer os retoques físicos que lhe apetecem, mesmo quando exposta a enxurradas de memes e comentários maus. Mas, principalmente, talvez protegida pela certeza de que forja com habilidade um pop nacional pela primeira vez capaz de brigar de igual para igual por um lugar ao sol fora das nossas fronteiras, contemporiza as criticas negativas à sua obra. “Acredito muito no trabalho dos críticos. Eles são especialistas, realizam pesquisa, fazem comparações e analisam a qualidade do trabalho artístico”, explica a cantora, que faz questão de separar as opiniões de analista musicais das de seus milhões de fãs. “Também acho que opiniões e gostos podem divergir entre si, e isso é natural. O importante é  que sempre haja respeito às diferenças.

  • ISTO É ANITTA 

23 ANOS
3 ÁLBUNS DE ESTÚDIO, COM QUASE 600 MIL CÓPIAS VENDIDAS
31 COMPOSIÇÕES PRÓPRIAS OU COAUTORIAS GRAVADAS ENTRE AS 39 DOS TRES ALBUNS DE ESTUDIO
1º LUGAR NAS PARADAS NACIONAL COM O TRABALHO DE ESTREIA, ‘ANITTA’, DISCO DE PLATINA PELA ABPD
MAIS DE 172 MILHÕES DE VISUALIZAÇÕES DO CLIPE DA CANÇÃO ‘BANG’, SEU ÚLTIMO GRANDE HIT, SOMENTE NO CANAL OFICIAL DO YOUTBE
12 MILHÕES DE SEGUIDORES NA REDE SOCIAL DE FOTO INSTAGRAM
4º LUGAR NO RANKING DE ARTISTAS MAIS TOCADOS NAS CASAS DE FESTAS BRASILEIRAS EM 2015, SEGUNDO O ECAD

Central Anitta Postagem por: Central Anitta
Deixe seu comentário!
Agenda da Anitta
Principais tags
13/05
Expo Palmeira no Complexo Esportivo
Palmeira - PR
20/05
Recinto de Exposições de S. José do Rio Preto
São José do Rio Preto - SP
25/05
Balada Loka no Pavilhões Festa da Uva
Caxias do Sul - RS
26/05
Woods Arena
Porto Alegre - RS
28/05
Show das Poderosinhas no Aud. Araújo Vianna
Porto Alegre - RS
Layout por Print Creative · Central Anitta · Alguns direitos reservados · 2014 ∞ · fãs online